city-heaped-with-envy-from-dantes-inferno-gustave-dore

A saga não pode parar. E muitas vezes, tão importante quanto à trama de uma história, é o local onde ela se desenrola. Quem é fã de Senhor dos Anéis sabe disso. A Terra Média é um personagem a mais, senão o principal. As aventuras dos nossos pobres herois, designers, também tem seu ambiente ameaçador e fantástico: O Mercado. Vamos falar um pouco dele.

Nome científico: Beco da Perdição e Glória

Características: Desde que os primeiros sintomas de que a criança se tornará um futuro designer, as mães entram em desespero. Sabem que, mais cedo ou mais tarde, será inevitável que o jovem abandone o conforto do lar para se aventurar no lugar onde os crimes mais vis acontecem, e também as maiores fortunas são ganhas, ou perdidas… O Mercado.

O Mercado é aonde todos vão trocar suas mercadorias por serviços. É neste ambiente hostil, repleto de todos os perigos conhecidos pelo homem que se reúnem patrões, clientes, sobrinhos e designers, em busca do melhor negócio para si. Depois de se embrenhar pelas vielas sujas do Mercado, o designer pode sair com um job, ou com uma bomba relógio prestes a explodir nas mãos. Dependendo dos poderes hipnóticos do cliente, o designer pode se ver obrigado a perder o feriado na chácara com a galera para entregar 5 layouts finalizados e prontos para a gráfica na segunda, para o cliente escolher apenas um, e mesmo assim pagar a metade do combinado, com um cheque para 15 e outro para 30 dias.

É no Mercado que patrões inescrupulosos cooptam designers ingênuos para trabalhar a troco de pizza. É lá que os designers perdem trabalhos para os sobrinhos, que são menores, correm mais e tem conexões espúrias.

Mas também é lá que alguns poucos designers começaram a vida e hoje reinam nos bairros mais ricos do reino. Agora é o Mercado que vai até eles.

A Verdade sobre O Mercado

A verdade é que o Mercado existe para todos. Ele permeia todas as relações, não há como fugir dele. O mercado está lá quando se consegue um novo trabalho, um novo cliente, um novo emprego. Quando oferecem um salário, quando corta-se ou adiciona-se benefícios e direitos. As regras do mercado não estão escritas em lei, e sim nas condutas. Há sim, como se proteger dessas regras.

O grande problema que vejo em designers hoje em dia (e sempre, para falar a verdade) é justamente a confusão entre o que se quer, o que se quer entregar, e a forma de conseguir. O designer não se sente à vontade para abraçar o mercado. Ele sente que isso é muito mundano para ele. Ele gostaria de ficar o dia inteiro fazendo arte, movendo pixels, testando cores. Sentar, olhar para a cara do cliente, ouvir suas expectativas, sentir o entusiasmo, negociar (ênfase na última palavra).

NEGOCIAR. É aquilo que deixa todo designer sem jeito. Passar um preço, nossa que desagradável… E o medo de ouvir um NÃO? E se o meu orçamento está baixo demais em relação à concorrência? E QUEM é a concorrência?

Se esse tipo de questionamento anda boiando na sua mente toda vez que você precisa passar um orçamento, isso provavelmente é porque você anda afastado do Mercado.

Para exemplificar o que estou falando, vou usar duas frases que não são minhas. A primeira eu não sei de quem é, ouvi em alguma palestra: “Se seu negócio não tem concorrentes, provavelmente é porque não tem mercado”.

A segunda é do Mike Montero, head da Mule Design. Em seu livro, ele diz: “A pior coisa que pode te acontecer é seu cliente aprovar seu orçamento de primeira. Alguma coisa você fez errado”.

Claro, é normal ter uma dor de barriga de expectativa ao passar uma proposta, mas não tanto. O que te trará tranquilidade é conhecer o mercado. E mais que isso: conhecer SEU mercado. Cada empresa, cada designer, se sente mais à vontade, ou entende mais, ou tem mais trânsito em algum canto do mercado. Talvez seja na área automotiva. Ou você transite bem com esportistas. Ou moda. Startups. Não importa. O que interessa é que você saiba onde está pisando. Conheça seus competidores, saiba onde seu cliente joga, saiba o que é tendência.

Sim, você pode conhecer mais de um mercado. Mas conheça.

A segunda coisa para ter em mente é que, queira ou não, você é parte do Mercado. E suas ações o melhoram ou pioram. Pense na bolsa de valores. As ações mais procuradas e lucrativas são mais caras. São as marcas que se destacam em suas áreas. São aquelas que dão mais retorno para os acionistas. Aquelas que não apresentam resultados, tem preços e valores de mercado menores.

Depende de você a forma que vai disputar seu lugar do mercado. Pode ser timidamente, se escondendo atrás do seu patrão, ou de peito aberto, seja para conquistar um novo cliente, ou mesmo um novo patrão. Ninguém foge do mercado. Todos os caminhos levam a ele.

Receba nossa newsletter!

Inscreva-se em nossa lista e fique sabendo dos nossos posts e novidades. Fique tranquilo: não vamos entupir sua caixa de email!

Quase lá! Uma mensagem de confirmação foi enviada para seu email. Por favor, clique no link para confirmar sua inclusão na lista.